25 jornada & ata de eleição da diretoria do cnc

logo_25jornadaASSEMBLÉIA GERAL EXTRAORDINÁRIA DA 25A. JORNADA NACIONAL DE CINECLUBES DE ELEIÇÃO DA DIRETORIA DO CONSELHO NACIONAL DE CINECLUBES

Às 10:20 horas do dia 5 de dezembro de 2004, no auditório da Galeria Olido, em São Paulo – SP, foram abertos os trabalhos da Assembléia Geral Extraordinária da 25a. Jornada Nacional de Cineclubes com o objetivo de proceder à discussão e eleição de chapas inscritas para o CNC – Conselho Nacional de Cineclubes, conforme a convocatória da Jornada, sendo os trabalhos presididos por Frank Roy Cintra Ferreira, que fez uma saudação a todos os presentes abrindo a palavra aos que quisessem apresentar moções, decidindo-se que primeiramente seriam apresentadas as chapas inscritas e seus respectivos programas, para a seguir apreciarem-se pela Plenária as propostas de moção. A seguir foi proposto que a Plenária ratificasse a alteração na composição da Mesa Diretora dos trabalhos, havendo aprovação da proposta por unanimidade de 21 votos a favor, conforme os delegados presentes com direito a voto, cuja composição é a seguinte: Presidente – Frank Roy Cintra Ferreira; 1o. Secretário – Luiz Cachoeira; 2o. Secretário – Vera Moss; e Relator – Sebastião Ribeiro, sendo aprovada o nome de Joseane Alves Ferreira para também atuar como Relatora.  Prosseguindo com os trabalhos, o presidente passou a palavra para Eduardo “Carioca” para se pronunciar e fazer alguns comunicados. O mesmo disse que não foi fácil a realização do evento, cujo porte demanda muito esforço, sendo que a Comissão Organizadora buscou corrigir da melhor maneira possível, eventuais falhas existentes; e que o Centro de Cineclubes de São Paulo agradece a todos, independentemente do resultado da Jornada. Informa que a tolerância de permanência no Hotel é até as 14:00 horas e que está incluído o almoço de todos no hotel. O presidente registrou que a Plenária é de eleição e perguntou se alguém queria apresentar alguma Moção antes de iniciar a votação das eleições e Claudino propôs um encaminhamento de que todas as votações da Plenária de hoje fossem feitas por votação nominal dos CCs. O presidente consultou a Plenária e, não havendo posicionamento contrário, a proposta foi aceita e as votações deverão se dar de forma nominal com a chamada de cada cineclube. Luiz Orlando pediu a palavra para ler uma Moção em nome dos cineclubes da Bahia, procedendo à leitura da mesma, repassando para cópia para a mesa diretora dos trabalhos, sendo que o presidente registrou que a mesma seria anexada à ata da Assembléia, para posterior inclusão nos anais da Jornada. A seguir Eurides de Jesus também apresentou duas moções, que após sua leitura, foram entregues à mesa, para posterior publicação nos anais da Jornada. Foi proposto que se passasse à eleição e, após a conclusão do processo eleitoral, se retomasse a proposição de moções, tendo a proposta sido submetida ao Plenário e aprovada por aclamação. O presidente consultou a Plenária para saber se algum dos presentes queria pedir direito de voto para algum cineclube e, como não houve nenhuma manifestação, passou para o ponto seguinte, solicitando que fossem apresentados os nomes da chapa inscrita. Claudino fez a leitura dos nomes da Chapa Brasil, com a seguinte composição: Presidente: Antônio Claudino de Jesus (Cineclube Ambiental – Vitória/ES); Vice-Presidente: Hermano de Figueiredo Mendes (Cineclube Ideário – Maceió/AL); Secretário: Antenor Gentil Júnior (Centro de Estudo Cineclubista de Brasília – CECIBRA/DF); Tesoureiro: João Baptista Pimentel Neto (Centro Rioclarense de Estudo Cinematográfico – CREC, Rio Claro/SP); Suplente do Secretário: Eduardo Antônio de Souza Benfica (Cineclube João Benário – Goiânia/GO); Suplente do Tesoureiro: Sebastião Ribeiro Filho (Cineclub ES – Vitória/ES); Diretor de Formação e Projetos: Frederico Cardoso (Sala da Cultura do Cinema Rio das Ostras/RJ), Suplente: Débora Butruce (Cachaça Cinema Clube – Rio de Janeiro/RJ); Diretor de Arquivo e Difusão: Carlos Seabra (Cineclube Vila Buarque – São Paulo/SP), Suplente: Vinícius Cabral (Cineclube Curta Circuito – Belo Horizonte/MG); Diretor de Comunicação: Bia Werther (Cine 8 – Porto Alegre/RS), Suplente: Berna Rafaela Veiga (Cine Nômade – Curitiba/PR).  A seguir, Bia Werther procedeu à leitura do Programa da Chapa, passando uma cópia para a Mesa Diretora dos trabalhos, tendo o presidente informado que o mesmo seria anexado à ata da Assembléia para que fosse incluído nos Anais da 25a. Jornada Nacional de Cineclubes. O presidente pediu a todos os componentes da Chapa para que se dirigissem à frente da mesa, a fim de permitir que os fotógrafos e cinegrafistas fizessem o devido registro. Neste momento, diversos representantes de cineclubes das bancadas da Bahia e de São Paulo se retiraram do Plenário e o 1o. Secretário, Luiz Cachoeira, pediu a palavra para protestar contra uma manifestação de participante da Plenária. A seguir o Presidente passou à chamada nominal dos cineclubes com direito a voto, a fim de que seus representantes proferissem seu voto: 1) Cineclube Cine 8 – a favor; 2)Cineclube Mostra Vídeo Independente – a favor; 3) Cineclube Cinemaníaco – a favor; 4) Clube de Cinema de Porto Alegre – ausente; 5) Cineclube Lanterninha Aurélio – ausente 6) Cineclube Bang-Bang – a favor; 7) Cine Nômade – a favor; 8) Cineclube Urca – ausente; 9) Cineclube MBB – a favor; 10) Cineclube Alpendre – ausente; 11) Cineclube Casa Amarela – ausente; 12) CC Ideal – a favor; 13) Cineclube Falcatrua – a favor; 14) Cineclube Ecosocial – a favor; 15) Cineclube Ambiental – a favor; 16) Cineclub ES – a favor; 17) Cineclube Encouraçado Botequim – a favor; 18) Cineclube Curta Aliança – ausente; 19) Cineclube Lanterna Mágica – ausente; 20) Cineclube Coração de Estudante – ausente; 21) Centro Rioclarense de Estudos de Cinema – a favor; 22) Cineclube Cauim – a favor; 23) Cineclube Movimenta Cine – ausente; 24) Casa de Cultura de Butantã – ausente; 25) Cineclube Mascate – ausente; 26) Cineclube Korujão – ausente; 27) Cineclube Photograma – ausente; 28) Clube de Cinema de Marília – ausente; 29) Centro Cineclubista de São Paulo – ausente; 30) Cineclube Fábrica – ausente; 31) Cineclube Kinoferia – ausente; 32) Curto Circuito – ausente; 33) CRAV – ausente; 34) Centro de Estudo Cineclubista de Brasília – CECIBRA – a favor; 35) Cineclube Porão – a favor; 36) Riacho Fundo – a favor; 37) Cineclube João Bênio – a favor; 38) Antônio das Mortes – a favor; 39) Cineclube Santa Maria – a favor; 40) Afonso Brasa – a favor; 41) Clube de Cinema da Bahia – ausente; 42) Cine Teatro Cachoeira – abstenção; 43) ABCV – ausente; 44) Centro Cultura João Antonio Santana – ausente; 45) Cineclube UEFES – ausente; 46) Cineclube Lençóis – abstenção; 47) Quilombola – Abstenção; 48) Janela indiscreta – ausente; 49) Cineclube Ideário – a favor; 52) Cineclube Antes Arte do que Tarde – a favor; 51) Cineclube Tim Tim por Tim Tim – a. favor.; 52) Cineclube Plano Geral – a favor; 53) ABD e C – ausente; 54) Sala de Cultura de Cinema – a favor; 55) Cineclube Sobrado Cultural – a favor; 56) Cachaça Cinema Clube – a favor; 57) Cineclube Sala Escura – a favor; 58) Cineclube Vídeo Fundição – ausente, 59) Cineclube Buraco – a favor; 60) Cineclube Malditos Filme Brasileiros – a favor; 61) Cineclube Cine Aló – a favor; 62) Cineclube Cinema Olho – a favor; 63) Cineclube Santa Teresa – a favor; 64) Cineclube Cura o Curta – ausente; 65) Cineclube Caju – a favor; 66) Cineclube Nós do Morro; a favor; 67) Cineclube Curta Circuito – a favor. Encerrada a votação o resultado foi o seguinte: A Chapa BRASIL foi eleita com 36 (trinta e seis) votos a favor; havendo 3 (três) abstenções. Proclamado o resultado da eleição o presidente passou a palavra a Hermano de Figueiredo que observou que o Manifesto lido pelo representante da delegação da Bahia registrou que a Delegação do Ceará subscreveu o mesmo, quando só havia um representante do Estado, não d
evendo o mesmo sendo considerado como “delegação”. Eduardo “Carioca” manifestou entendimento que se há apenas um representante de um Estado este deve ser considerado “bancada” e que foi a maioria dos cineclubes de SP que subscreveu o Manifesto. Rilza do CC Lençóis – BA registrou que participou de todo o processo, que não votou em função da decisão de bancada, mas que decidiu permanecer no Plenário. Claudino de Jesus registrou que a Jornada é para os cineclubes inscritos e que se fazem representar na Plenária, como o Ceará não esteve presente, pede a retirada da participação do representante do CE. Luiz Cachoeira manifestou entendimento de que deve ser corrigida a menção a SP, pedindo à Plenária que não dirigisse à Bancada da BA, falando de “má fé”, pois entendia como um desrespeito não compatível. Felipe fez uma proposta encaminhamento, pedindo encerramento do ponto, em função de que ainda há pontos como escolha da sede da próxima Jornada. Eduardo “Carioca” falou que o representante do Ceará chegou ontem á noite e que esteve na Plenária hoje já na abertura dos trabalhos. Hermano esclareceu que usou o termo má fé para o representante do CE, e que não o fez para os cineclubes da BA, apresentando o seu respeito à delegação baiana, dizendo que foi mal interpretado quanto a este ponto. Encerrados os pronunciamentos o presidente deu posse à Diretoria eleita e, Antonio Claudino de Jesus assumiu a direção dos trabalhos, tendo o Sr. Frank Roy Cintra Ferreira, agradecido ao Plenário, a confiança nele depositada, colocando-se à disposição para continuar contribuindo com o Movimento Cineclubista. Claudino agradeceu a todos pela união, dizendo que esta união foi conseguida pela posição equivocada de alguns cineclubistas de São Paulo. Que não encarava a vitória como algo que fosse massacrar os derrotados, embora a posição dos que se retiraram da Plenária tenha sido uma afronta aos demais representes dos cineclubes do Brasil, presente à 25a. Jornada Nacional. A Diretoria eleita chama todos a trabalharem com ela em prol do Movimento. Claudino agradeceu a todos os das delegações estrangeiras – México, Argentina e a Juan Acher Vice-presidente Latino Americano da FICC – Federação Internacional de Cineclubes, dizendo que o CNC, juntamente com as demais entidades e representantes latino americanos, iria trabalhar em prol de uma proposta para a criação Confederação Latino Americana. A seguir abriu a palavra para apresentação de moções e novos pronunciamentos, tendo se inscrito os seguintes participantes: Lis/RJ, que apresentou uma moção aprovada pelo plenário e que seria transcrita nos anais da Jornada; Bia Werther/RS, que também apresentou uma moção aprovada e que seria transcritas nos anais da Jornada; Vera Moss que fez uma manifestação sobre a falta estrutura no prédio do Olido que integrasse de para deficientes a todos os demais; Geovani/RN, que registrou sua alegria com amadurecimento do Movimento e que vai atuar em prol de seu fortalecimento em seu Estado; Vera do Cineclube Ecosocial/ES, apresentou uma moção de congratulações com todos os cineclubistas, destacando a atuação positiva de Antonio Claudino; Pimentel que fez um pronunciamento em solidariedade a Felipe Macedo, repudiando todos os ataques feitos à pessoa dele e apresentou uma Moção de agradecimento a Secretaria do Áudio Visual e todos os apoiadores e patrocinadores da Jornada, que foi aprovada e será anexa aos anais da 25a. Jornada Nacional; Paulo que registrou sua satisfação em participar da Jornada; Sebastião Ribeiro que apresentou uma Moção de congratulações com o Prefeito de Rio Claro, Cláudio Antonio de Mauro. e a João Baptista Pimentel Neto, por ter promovido a Pré-Jornada Nacional de Cineclubes e o I Encontro Ibero Americano de Cineclubes; Franco que fez um agradecimento à Prefeita de sua cidade, ao CECIBRA e toda a delegação do Centro Oeste, bem como a todos os paulistanos que tão bem recepcionaram todos os participantes da Jornada; Bruna/PR que fez um pronunciamento de incentivo aos jovens cineclubistas, para que sigam atuando em prol do fortalecimento do Movimento Cineclubista; Marcos Valério fez um registro de o maestro Jaceguay Lins, que morava em Vitória e era um músico que atuante no cinema e em prol da valorização da cultura do país, tendo falecido este ano e que o CNC deveria encaminhar manifestação de pesar à sua família; Eduardo “Carioca” apresentou uma moção de apoio ao Centro Cineclubista de São Paulo dizendo que seus representantes não deixariam de dialogar com a Diretoria, mas que não se sentiam contemplados pelo Programa da mesma; Seabra apresentou uma moção de apoio à criação da ANCINAV e de agradecimento ao Secretário Célio Turino, registrando a importância dos Projetos Cultura Viva e Pontos de Cultura do MINC; Júnior/DF registrou que os cineclubes do Centro Oeste que não tiveram direito a voto, manifestaram seu apoio a Diretoria eleita; e finalizando os pronunciamentos Hermano de Figueiredo registrou a sua participação no encontro de Cineclubes do Nordeste, ocorrido em de Petrolina/PE. Encerradas as falações Antônio Claudino fez um registro de agradecimento às pessoas de Juca Ferreira e Leopoldo Nunes Filho do MINC, por sua decisiva participação no apoio do Ministério da Cultura à realização da 25a. Jornada Nacional de Cineclubes, passando a palavra para Fernando do México que, em nome dos cineclubes estrangeiros, presentes à Jornada como observadores, leu um pronunciamento em nome do Presidente da FICC, onde reitera a decisão de realização da Assembléia da Federação Internacional de Cineclubes no próximo ano no Estado do Espírito Santo – Brasil; procedendo também a seguir, a leitura da Carta de Rio Claro, aprovada no I Encontro Ibero Americano de Cineclubes, sendo que ambos os documentos, segundo ao presente Claudino de Jesus seriam transcritos nos anais da Jornada Nacional, tendo o presidente agradecido em nome de todos os presença dos representantes estrangeiros, manifestando seu contentamento, e a disposição do CNC em criar um Movimento em toda a América Latina, para sejam maioria na assembléia da FIC. Por derradeiro o presidente perguntou ao Plenário se havia proposta para sede da 26a. Jornada Nacional de Cineclubes e, Bia Werther apresentou proposta em nome do Rio Grande do Sul que, colocada em votação, foi aprovada por aclamação. O presidente deu por encerrada a 25a. Jornada Nacional de Cineclubes, agradecendo a presença de todos e dizendo que espera tornar a revê-los na 26a. Jornada Nacional, reiterando sua disposição de representar o Movimento Cineclubista Brasileiro, lutando pelo seu crescimento e fortalecimento., cuja ata foi por mim, Sebastião Ribeiro Filho, lavrada, na condição de Relator dos trabalhos da Jornada. São Paulo, 5 de dezembro de 2004.

ANTONIO CLAUDIONO DE JESUS

Presidente do CNC

SEBASTIÃO RIBEIRO FILHO

Relator

Obrigado por acessar o Nação Cineclube. Entraremos em contato.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s