Projeto de cineclubes nas escolas dá a largada em Florianópolis

O projeto de instalar em cada escola brasileira um cineclube foi disseminado no Seminário Estadual de Cineclubismo, Cinema e Educação realizado nesta terça-feira no Hotel Majestic na programação da 10ª Mostra de Cinema Infantil de Florianópolis. Este é o primeiro encontro estadual. O próximo é em dezembro, no Rio Grande do Sul, na Jornada dos Cineclubes Brasileiros. Em junho de 2012, haverá o encontro nacional.

O Seminário apontou algumas questões importantes. Luiz Alberto Cassol, presidente do Conselho Nacional de Cineclubes, entidade co-organizadora do Seminário, defende salas de cinema para todas as escolas brasileiras. A justitificativa é de que o audiovisual deve ser apropriado como elemento pedagógico e também como entretenimento, garantindo a circulação da linguagem audiovisual em um ambiente próprio de cineclube.

Após os debates, houve o lançamento de três livros: “Crianças, Cinema e Educação: além do arco-íris”, de Monica Fantin, “Cinema e Educação: uma relação sob a hipótese de alteridade, organização de Adriana Mabel Fresquet, e “Cineclube, Cinema e Educação”, organizado por Felipe Macedo e Giovanni Alves.

Cineclubista há 40 anos, Felipe acredita na idéia de que cinema não é um monólogo, mas um diálogo e defende o uso do audiovisual na educação.

Para a professora Monica, é um avanço trabalhar a idéia de como as crianças constroem um significado a partir de um filme. O que eles levam do filme. A também professora Adriana gosta de pensar o cinema como algo que entra na escola como um estrangeiro, provocando a instituição escolar com um ato criativo.

O encontro de Florianópolis teve repercussões distantes da Capital.

Da cidade de Seara, no extremo Oeste do Estado, o seminário atraiu a professora Loide Chimanko, que enfrentou oito horas de viagem para buscar contatos e informações no sentido de desenvolver o cinema nas atividades pedagógicas de sua região. Assistente técnica da Secretaria Regional de Seara, Loide discute a carência de atividades culturais na sua região. Em Seara há somente um cineclube.

O presidente da Fundação Catarinense de Cultura (FCC), Joceli de Souza, acredita que a proliferação de cineclubes é fundamental para despertar o imaginário infantil. Roseli Maria da Silva Pereira, superintendente adjunta da Fundação Franklin Cascaes, avalia que o cineclubismo já esta em pauta na fundação. A Escola Dilma Lúcia dos Santos, da Armação do Pântano do Sul, possui um cineclube no auditório que funciona nos domingos à noite e é aberto para a comunidade.

Além disso, Roseli diz que outros projetos serão ampliados. A FFC já apóia os cineclubes Pitangueira, da Lagoa, e o Ieda Beck, do Centro, realizados pelo Fundo Municipal de Cinema (Funcine) e pela Cinemateca Catarinense. Em breve, através da mesma parceria, será inaugurado o Cine Dona Chica, num rancho de pescadores na Praia do Campeche. De frente para o mar.

Fonte: De Olho Na Ilha
http://www.deolhonailha.com.br/florianopolis/noticias/projeto_de_cineclubes_nas_escolas_da_a_largada_em_florianopolis.html 

Anúncios

Obrigado por acessar o Nação Cineclube. Entraremos em contato.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s